Bomba


já tentei
o sarcasmo
e a ironia

já tentei
a indiferença
e a negação

já tentei
entorpecimento
com drogas
sexo e rock
bom

já tentei
subornos e
adestramentos

já tentei
absolutamente
esquecê-lo

ou
blindá-lo
do lado de fora
do tempo

já tentei
analisá-lo
minuciosamente
com ciência, bisturis e divãs

já tentei
controlá-lo
com ameaças
e violência

já tentei
reverências
armadilhas

e
toda forma
de negociação

já tentei
o sim
o talvez
o não

mas

tudo
em vão

pra minha
infeliz
felicidade

ele
segue
bom e
batendo
batendo
batendo

nunca aceita
– rebelde –
nada menos

sim,
eu tento
explicar-lhe:
o mundo é um muro
que os peitos vão duros
as mãos fechadas
as bocas ressequidas
falo dos desencontros
das dificuldades
dou-lhe fatos,
fotos, dados,
estatísticas

mas

pra minha
infeliz
felicidade

tudo
em vão

ele
segue
bom e
batendo e
pulsando e
ardendo e
latejando e…

Leave a Reply