A mercadoria

Depois de 3 dias estudando o “A Mercadoria” com os barbudos (Scapi e Marx), segue um poema do Scapital (alcunha poética do Scapi). Sugiro a leitura desse capítulo para melhor “sorvimento” do poema. 😉

Se naquilo em que resulta
se oculta
onde?! Se troca
o fato pelo feitiço
velando o ato de fazer…

O que é feito,
é fato que não revela,
é foto que congela
o ato de quem fez.

Mas também
é fotograma de filme
que se res-vala, revelando
além de relevos
a leve lei do valor.

Quantidades
trabalhadas
de quem faz
dando cavalos e dentes
num olho por olho
de não equivalentes.

Porções briguentas
da mesma liberal
idiotice;
dos que querem o capital
mas não querem
suas vigarices.

Desses,
que defendem mercados
e não sabem seus fetiches.

Scapital